Falando sobre trabalho e saúde: o que as empresas podem fazer para diminuir a transmissão do Covid-19? As empresas do mundo inteiro estão tomando medidas de prevenção na tentativa de conter a transmissão do coronavírus. Várias medidas podem ser adotadas, como: dispensar os colaboradores, se possível, para trabalho em home office; sensibilizar sobre a importância da lavagem das mãos, bem como, manter um distanciamento de 2 metros entre as pessoas; organizar e agendar os horários de atendimentos para que não haja aglomerações; colocar placas de sinalização (sente aqui ou aguarde aqui) com 2 metros de distância; distribuir álcool em gel 70% para seus funcionários; divulgar os casos confirmados de Covid-19 na empresa, para que os outros funcionários fiquem atentos para possíveis sintomas, assim como, tomar medidas de isolamento social; estimular a higienização dos equipamentos de trabalho (computador, teclado, mouse e bancadas); e também orientar sobre uso de máscara e de outros EPI para aqueles trabalhadores que necessitam, como é caso dos profissionais de saúde. Portanto, todas essas medidas geram grande impacto na rotina da empresa e na vida de seus colaboradores. Não é verdade? O SESI elaborou um guia para ajudar as empresas na construção de seus planos corporativos de contingenciamento à pandemia de Covid-19 no território nacional. É importante que todas as empresas elaborem seu plano, pois, este possibilita identificação dos riscos e, assim, determina uma conduta mais eficaz em cada situação.

O que fazer se surgir um caso de Covid-19 confirmado na empresa?

Primeiramente, a empresa deve identificar se o colaborador com diagnóstico de Covid-19, apresenta sintomas (sintomático) ou não tem sintomas (assintomático). Mediante essa classificação são tomadas medidas de prevenção. Colaborador assintomático, deve: ser imediatamente isolado; receber máscara e instruções de uso; ser encaminhado para quarentena domiciliar; receber orientação sobre quando e como entrar contato com o sistema de saúde; receber orientação sobre medidas a serem adotadas durante o isolamento domiciliar para prevenção da contaminação a outras pessoas; receber orientação sobre medidas a serem tomadas caso precise se deslocar para o posto de saúde; ser monitorado de 2 em 2 dias para acompanhar a evolução da doença e a situação das pessoas que moram com ele. Já o colaborador que apresentar sintomas deve: ser imediatamente isolado; receber máscara e instruções de uso; ser encaminhado para uma unidade básica de saúde mais próxima; caso o serviço de saúde o encaminhe para quarentena domiciliar; receber todas as orientações destinadas para os casos assintomáticos. No entanto, as pessoas que mantiveram um contato por um tempo acima de 15 minutos e com uma aproximação menor de 2 metros de distância de uma pessoa com diagnóstico confirmado também precisam ser colocadas em quarentena por 14 dias; receber orientações sobre medidas de desinfecção e isolamento domiciliar. É necessário interditar para fazer uma desinfecção no local de trabalho do colaborador com Covid-19. Assim, realiza-se uma limpeza de todas as superfícies e equipamentos utilizados, já que o vírus pode permanecer vivo por dias em algumas superfícies.">
Saúde e motivação: o benefício da atividade física na empresa – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
Saúde e motivação: o benefício da atividade física na empresa

O compromisso com a saúde do trabalhador gera respostas excelentes para a empresa. Por isso, cada vez mais, a implantação de programas de qualidade de vida está sendo tratada como um distintivo estratégico, ganhando a consideração dos empresários. A vantagem nesse tipo de investimento é promover a conscientização e o aumento da autoestima do trabalhador, melhorando a concentração e a produtividade no trabalho, minimizando atrasos e faltas, atraindo e fidelizando os funcionários. Colaboradores relatam que, quando não fazem atividade física, todas as tensões acumuladas durante a semana continuam incomodando aos finais de semana e, apenas com a introdução de uma atividade, conseguem se desligar um pouco dos problemas.

É possível, de acordo com estudos, usar um horário estabelecido no trabalho para inserir medidas para a promoção da saúde, como praticar algum exercício, realizar pausas ativas e alongamentos direcionados para os grupos musculares mais tensionados, alcançando assim níveis de produção mais elevados. Além disso, os trabalhadores se favorecem de um melhor quadro de saúde, devido à prática regular da atividade física. A empresa pode oferecer horário flexível para os trabalhadores, vestiários com chuveiros e espaço de lazer, além de realizar parceria com algumas redes de academia, disponibilizando desconto aos colaboradores. Incentivar a prática esportiva e os hábitos saudáveis traz uma melhora no comprometimento e na união dos trabalhadores.

Com a introdução da atividade física na empresa, há ganho de energia, vigor e também redução do número de abstenções por causa das doenças. A fim de melhorar funções cardiorrespiratórias e musculares, ósseas, reduzir o risco de doenças crônicas não transmissíveis e depressão, as orientações são:

  • Realizar, no mínimo, 150 minutos/semana de atividade física aeróbica com intensidade moderada:
    • 3 dias de 50 min
    • 6 dias de 25 min
  • Realizar, no mínimo, 75 minutos/semana de atividade física aeróbica com intensidade vigorosa:
    • 3 dias de 25 min
    • 5 dias de 15 min (nessa orientação é indicada atividades físicas dentro do local de trabalho como ginástica laboral focada no fortalecimento muscular e mobilidade articular)
  • Para benefícios adicionais de saúde, como aumento de capacidade cardiorrespiratória, força muscular e mobilidade articular, os adultos devem aumentar a carga horária da sua atividade de intensidade moderada para 300 minutos por semana ou 150 minutos de intensidade vigorosa, ou ainda uma combinação equivalente de atividade moderada e vigorosa.
  • Compreender orientações sobre alimentação saudável e equilíbrio entre corpo e mente, estimula que cada um conheça sua relação com a saúde e a prática de exercícios físicos.

A gestão da saúde é uma decisão pessoal e individual, mas o incentivo e apoio da empresas fazem a diferença na vida dos funcionários.

 

Liandra Paola Damasceno

Sobre o Autor: Liandra Paola Damasceno

Educadora Física pela Faculdade Integrada do Ceará - FIC e pós-graduada em Treinamento Esportivo na Universidade Estadual do Ceará - UECE. Atua como professora de Ginástica Laboral no SESI, com ampla experiência como Personal Trainer.
Comentar