Presenteísmo: é preciso avançarmos na compreensão deste complexo e multifacetado fenômeno – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
Presenteísmo: é preciso avançarmos na compreensão deste complexo e multifacetado fenômeno

Pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) produziram importante contribuição ao debate sobre a prevalência e os fatores associados ao complexo e multifacetado fenômeno do presenteísmo em trabalhadores da indústria na Revista Brasileira de Saúde Ocupacional.

A compreensão do presenteísmo nos ambientes de trabalho exige a abertura para o entendimento e apreensão de aspectos individuais, sociodemográficos, estilos de vida, estilos de liderança, cultura organizacional e condições gerais de saúde dos trabalhadores, além do enfrentamento das questões vinculadas à redução do desempenho individual e coletivo das organizações, tanto em termos de saúde dos trabalhadores quanto em termos dos custos econômico-financeiros envolvidos.

O presenteísmo pode ser definido como estar no trabalho mesmo percebendo limitações físicas e/ou psíquicas que podem reduzir a capacidade laborativa, nas palavras dos pesquisadores. Levantamento do The Wellbeing & Performance Company no Contribution to the Cost of Lost Production Annualy in the UK (Reino Unido), também analisando o fenômeno do presenteísmo, em uma perspectiva dos custos envolvidos e na conexão direta e/ou indireta com o absenteísmo, sinaliza para um custo anual em empresas do Reino Unido da ordem de 20 bilhões de libras (absenteísmo e turnover) a 60 bilhões de libras (presenteísmo/redução de produtividade).

A pandemia de COVID-19 parece ter impactado fortemente os relatos informais acerca desta questão. No Brasil, os estudos sobre o presenteísmo ainda são muito escassos e precisamos avançar sobre esta problemática.

Alexandre de Lima Santos

Sobre o Autor: Alexandre de Lima Santos

Médico pela Universidade Federal do Ceará - UFC, pós-graduado em Medicina do Trabalho pela Universidade Estácio de Sá/RJ, mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará - UFC, faz parte da Comissão Técnico-Científica da Associação Nacional de Medicina do Trabalho - ANAMT. Atualmente é Médico do Trabalho na Unidade de Segurança e Saúde para a Indústria - SESI Ceará.
Comentar