Em 2022, o novo modelo de Ensino Médio já está em vigor nas escolas brasileiras, pelo menos para os estudantes do 1º ano. A implementação obrigatória está sendo realizada de forma gradual, de modo que todas as três séries estejam adaptadas até 2024.

A rede de Escolas SESI SENAI foi a primeira no País a começar a implementar o novo sistema, ainda em 2018, nos estados do Ceará, Alagoas, Bahia, Goiás e Espírito Santo. A primeira turma que cursou esse novo sistema completo, do 1º ao 3º ano, se formou em 2020.

Devido ao grande abandono escolar no Ensino Médio, notou-se a necessidade de reformular o modelo de ensino para torná-lo mais aderente ao interesse do jovem do século XXI e às demandas do mercado de trabalho.

Antes, todos os estudantes passavam pela mesma formação, agora cada um deles tem a chance de escolher parte dos assuntos que desejam aprofundar ou realizar um curso técnico dentro da carga horária de Ensino Médio. São muitas novidades, confira os detalhes das mudanças do antigo para o novo modelo e entenda como vai funcionar.

Escola SESI SENAI Unidade Parangaba

Como a grade curricular é dividida    

Entre as principais mudanças, o currículo escolar agora é dividido em duas partes: disciplinas iguais para todos os estudantes, conhecidas como Base Nacional Comum Curricular, e uma disciplina de maior interesse ou curso técnico optado pelo aluno, denominado itinerário formativo.

Dessa forma, os jovens são formados em fundamentos básicos para ter uma visão de mundo crítica e abrangente, mas também podem estudar com mais afinco os temas que mais despertam interesse para o seu futuro profissional.

Conteúdo1º ano2º ano3º ano
Base Nacional Comum Curricular800 horas600 horas400 horas
Itinerário formativo200 horas400 horas600 horas

O Ensino Médio continua sendo dividido em três anos, mas a carga horária é um pouco maior. O tempo mínimo aumentou de 800 para 1.000 horas.

Base Nacional Comum Curricular

Estávamos acostumados a aprender disciplinas específicas, como Biologia, História e Português. Então, outra grande mudança é que o conteúdo é ensinado de forma interdisciplinar, ou seja, todas as matérias foram aglutinadas em quatro disciplinas, por áreas de conhecimento.

LinguagensMatemáticaCiências HumanasCiências da Natureza
Língua Portuguesa Inglês Educação Física Artes  MatemáticaHistória Geografia Filosofia SociologiaBiologia Química Física

Hoje, em vez de os horários de aula serem distribuídos para 12 disciplinas, eles passam a ser divididos para essas quatro (Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza), em diferentes proporções. Nenhuma disciplina tradicional foi excluída. O que muda é o formato como elas vão ser ensinadas.

Itinerários formativos

Enquanto um aluno pode ter muito mais facilidade em entender os grandes filósofos da humanidade, outro pode ter mais interesse em equações e trigonometria, e um terceiro pode estar mais inclinado a desenvolver habilidades profissionais.

Então a proposta dos itinerários formativos é dar essa oportunidade de aprofundar seus conhecimentos na disciplina que você mais gosta entre Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza ou optar por um curso técnico.

O itinerário formativo é escolhido no começo do 1º ano e deve ser seguido até o fim do Ensino Médio.

As escolas são obrigadas a ofertar, pelo menos, dois desses itinerários formativos. Nas escolas SESI SENAI, são ofertados para todos os alunos as seguintes opções:

Além disso, os dependentes de trabalhadores da indústria podem optar gratuitamente pelas seguintes alternativas, que são ofertadas na unidade do SENAI da Barra do Ceará:

Projeto de Vida

Ao considerar que nessa fase da vida começamos a pensar sobre carreira profissional, a reforma incluiu no programa pedagógico o Projeto de Vida, que tem como objetivo orientar os alunos a explorar suas habilidades, descobrir seus interesses e estimular o autoconhecimento.

Cada escola tem a liberdade de decidir se o Projeto de Vida vai ser em formato de disciplina específica ou vai ser diluído nas aulas, por meio de conversas e atividades com os professores. De qualquer forma, ele está incluído na carga horária obrigatória a todos, isto é, na Base Nacional Comum Curricular.

Quais as vantagens desse modelo?

Conheça a Escola SESI SENAI

No Ceará, as unidades são localizadas em Fortaleza (Parangaba e Centro), Sobral e Juazeiro do Norte. Venha na Escola SESI SENAI conhecer melhor nossa metodologia diferenciada, com aulas também de empreendedorismo e robótica e espaços inovadores, como Sala de Matemática, Sala de Ciências e Espaço Maker.

Agende já a sua visita pelo WhatsApp 4009-6300.

">
Dicas de ergonomia para combater a LER/DORT – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
Dicas de ergonomia para combater a LER/DORT

O último dia do mês de fevereiro marca o Dia Mundial de Combate às LER/DORT, sendo LER as lesões por esforços repetitivos, e DORT os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Muitos trabalhadores são acometidos anualmente por essas doenças, causando cansaço, dores e insatisfação no ambiente de trabalho. Como consequência, afastamentos recorrentes, gerando custos para as empresas.

A prevenção ainda é o melhor remédio para essa situação. Uma das formas de prevenir essas doenças é por meio da ergonomia, ciência que visa adaptar as condições de trabalho às características do trabalhador. A assessoria em ergonomia pode mapear as situações que provocam ou exacerbam essas doenças no ambiente de trabalho.

Pequenas atitudes fazem a diferença. Compartilhe com seus colaboradores algumas dicas para combater a LER/DOR no ambiente de trabalho. Eles poderão regular suas estações de trabalho ou solicitar auxílio para solicitar a adequação.

Cadeira:

  • Sente-se na cadeira e ajuste-a de maneira que seus cotovelos formem um ângulo de 90º ao manter as mãos apoiadas sobre o tampo da mesa;
  • O encosto deve estar a 110° do assento
  • A cadeira deve ter apoio para a região lombar e dorsal
  • Os pés devem ter contato completo com o chão ou apoiados em suporte específico
  • As coxas devem ficar paralelas ao piso
  • O trabalhador deve estar próximo da superfície de trabalho
  • Os braços devem ficar apoiados

Monitor:

  • A altura ideal da 1ª linha escrita deve ser de 155 cm. O monitor deve ser posicionado abaixo do eixo visual horizontal e estar a uma distância de um braço, no mínimo. O motivo: Se o monitor estiver muito perto ou na altura incorreta, sua postura corporal ficará frequentemente contraída. Principalmente na área dos ombros e da nuca, costumam surgir tensões. Segue abaixo foto ilustrativa com tracejado da inclinação do monitor em relação aos olhos da pessoa que o utiliza.
  • A tela deve estar ao nível do horizonte ou levemente abaixo
  • O trabalhador deve localizar-se bem em frente ao monitor
  • A iluminação deve ser adequada
  • Use filtro no caso de brilho excessivo
  • A distância adequada é de 60 cm entre a pessoa e a tela do computador

Teclado e mouse:

  • A altura ideal deve ser de 110 cm
  • Eles devem localizar-se próximos e na frente de quem vai usá-lo
  • Os cotovelos devem permanecer em ângulo de 90°
  • Os punhos precisam permanecer retos

Dicas preventivas:

  • Busque sempre adotar uma postura adequada e realize pequenas pausas em qualquer atividade repetitiva. Intervalos breves e frequentes são mais eficazes para a recuperação do que um período de descanso igual, tomado de uma só vez. Durante essas pausas faça alguns alongamentos para as áreas de seu corpo que estiverem executando a tarefa.
  • Cuide para sempre adequar seu posto de trabalho de acordo com as características físicas e com sua atividade.
  • Não realizar força nem pressão exageradas, repetitivas ou frequentes
  • As LER/DORT são curáveis, principalmente nos primeiros estágios. Portanto, procure ajuda.

Gostou das dicas? Compartilhe com seus colaboradores o infográfico abaixo:

Tatiana Rocha Machado

Sobre o Autor: Tatiana Rocha Machado

Enfermeira e mestre em Promoção da Saúde pela Universidade Federal do Ceará – UFC, especialista em Enfermagem do Trabalho e Enfermagem Clínica pela Universidade Estadual do Ceará – UECE e especialista em Gestão Hospitalar pela Universidade Vale do Acaraú – UVA. Atua como enfermeira do trabalho na Unidade de Segurança e Saúde para a Indústria (UNISSIN) - SESI Ceará.
Comentar