Comitê de ergonomia: quando e como implementar – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
Comitê de ergonomia: quando e como implementar

O Comitê de Ergonomia (COERGO) é uma ferramenta que possibilita o envolvimento e a participação dos profissionais de todas as áreas dentro de uma organização. Ele atua de forma ativa nas tomadas de decisões referentes às ações corretivas e preventivas no que diz respeito a conforto ambiental, produtividade e melhor qualidade dos serviços prestados, promovendo melhorias contínuas em toda esfera do gerenciamento do sistema de gestão de saúde e segurança do trabalho.

Quando falamos sobre o assunto, uma das perguntas mais frequentes é: quais são as etapas para instituição de um sistema de gestão em ergonomia? Como posso implementar a ergonomia na minha empresa de forma mais eficiente?

O primeiro passo é identificar os problemas ergonômicos e as sugestões de melhorias, para que o posto de trabalho se adeque às características do trabalhador. Por isso recomendamos que seja elaborada uma análise ergonômica do trabalho (AET). O segundo passo é a criação do Comitê de Ergonomia (COERGO), que visa verificar os problemas encontrados nos postos de trabalho e os riscos das funções que podem contribuir para o desenvolvimento de lesões.

A formação do comitê é uma das etapas da implantação da ergonomia na empresa e tem como objetivo formar uma equipe multidisciplinar com profissionais de diferentes setores da empresa, para atuarem de forma objetiva nas melhorias ergonômicas, com foco nas resoluções das situações de riscos apontadas na AET.

Seguem recomendações para criação do Comitê de Ergonomia (COERGO):

  1. Definir quais serão os membros que farão parte do COERGO;
  2. Orientar e treinar os membros;
  3. Realizar um mapeamento das condições ergonômicas com base na AET;
  4. Definir as prioridades a serem tratadas, baseadas nas categorias de resolução;
  5. Elaborar um plano de ação com as adequações ergonômicas;
  6. Realizar uma análise das melhorias implementadas, documentando e anexando formulários de avaliação;
  7. Realizar treinamentos de conscientização com todos os trabalhadores.

Dentre as inúmeras vantagens para implantação do COERGO pode-se destacar:

Troca de experiência multidisciplinar: a participação e envolvimento de profissionais de diversos campos de atuação garante uma maior assertividade nas ações tomadas.

–  Manutenção da gestão eficiente: os indicadores de desempenho são acompanhados de forma mais precisa estabelecendo uma causa raiz para os problemas relacionados ao absenteísmo.

Conquista de certificações: no mundo empresarial as certificações são de extrema importância pois são indicativos de empresa que atendem as boas práticas de gestão, respeitando o meio ambiente, a saúde e segurança do trabalho.

Manutenção das análises ergonômicas atualizadas:  o Comitê de Ergonomia acompanha de forma mais assídua o cronograma de ações estabelecidas pela análise ergonômica do trabalho (AET).

A implantação do Comitê de Ergonomia (COERGO) é uma opção de monitoramento e controle de melhoria contínua, de baixo custo de manutenção e efetividade em multiplicar a cultura de ergonomia dentro da empresa, de maneira mais assertiva na otimização dos processos referentes à saúde e segurança do trabalho.

Séfora Gondim Bezerra

Sobre o Autor: Séfora Gondim Bezerra

Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido – UFERSA, especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Potiguar – UnP e em Ergonomia pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR. Atualmente é engenheira de Segurança do Trabalho no setor de Saúde e Segurança do Trabalho do SESI Ceará, na unidade Parangaba.
Comentar