Sabemos o quão importante é a atividade física e seus benefícios, que vão desde a melhoria da qualidade do sono, do perfil lipídico e da sensibilidade à insulina, até o fortalecimento muscular e imunológico. São vários os artigos e estudos publicados evidenciando a importância de manter-se ativo e saudável, pois além de manter corpo e mente saudável, o exercício físico é atuante na prevenção e tratamento de DCNT (Doenças Crônicas Não Transmissíveis), como diabetes, hipertensão arterial, doenças respiratórias. Segundo o Ministério da Saúde, aproximadamente 57,4 milhões de pessoas possuem pelo menos uma doença crônica não transmissível no país. Existem alguns fatores que favorecem o seu desenvolvimento no organismo, como os genéticos, sexo e idade, além de hábitos e comportamentos de risco, como inatividade física, alimentação inadequada, obesidade, tabagismo e abuso de bebidas alcoólicas.

A atividade física, que antes era comprometida pela rotina atribulada, tornou-se indispensável nesse período de isolamento social. Durante sua prática, vários são os hormônios liberados, em especial a endorfina, que tem a função de controlar a ansiedade e diminuir o estresse, e a serotonina, cuja atuação está relacionada ao humor, sono e apetite, ambos proporcionando a sensação de bem-estar. Um artigo publicado no jornal britânico The Guardian afirma que o exercício, além de influenciar o cérebro de diferentes maneiras, mantém a mente saudável, melhorando a memória, concentração e humor.

A união de atividade física e relaxamento é uma ferramenta valiosa para manter a calma e continuar a proteger a saúde durante esse período de isolamento.  Para se manter ativo em casa, realize tarefas simples, como dançar, brincar com as crianças, cuidar dos animais e plantas e subir escada. Caso você decida sair de casa para caminhar e andar de bicicleta, mantenha uma distância de pelo menos um metro de outras pessoas, de acordo com as orientações da OMS. Priorize também atividades cognitivas como jogos de tabuleiros, leitura e meditação. A OMS – Organização Mundial da Saúde recomenda 150 minutos de atividade física de intensidade moderada ou 75 minutos de intensidade vigorosa por semana, ou uma combinação de ambos. Essas recomendações ainda podem ser alcançadas mesmo em casa, sem equipamento especial e com espaço limitado.

Mantenha-se ativo, pratique uma atividade física e, para o exercício físico orientado, procure sempre um profissional de educação física registrado no CREF – Conselho Regional de Educação Física. Além disso, antes de iniciar qualquer série de exercício, não esqueça de realizar aquecimento, mobilidade articular e alongamento, além da hidratação.

Para melhor atendê-los nesse período de isolamento social, sigam as redes sociais do SESI Ceará e dos nossos profissionais, com dicas de exercícios para serem realizados em casa:  Instagram | Facebook | Youtube

">
Ergonomia – Blog SESI de Saúde e Segurança
Ergonomia

Principais riscos ergonômicos encontrados nas empresas

Segundo o engenheiro e ergonomista Itiro Iida, a ergonomia é o estudo da adaptação do...
Continue lendo
Ergonomia

Gestão em ergonomia e seus benefícios

O gerenciamento ergonômico é parte integrante dos procedimentos relacionados à...
Continue lendo
Ergonomia

Comitê de ergonomia: quando e como implementar

O Comitê de Ergonomia (COERGO) é uma ferramenta que possibilita o envolvimento e a...
Continue lendo
Ergonomia

Dicas de ergonomia para combater a LER/DORT

O último dia do mês de fevereiro marca o Dia Mundial de Combate às LER/DORT, sendo LER...
Continue lendo
Ergonomia

Investindo em Ergonomia com soluções de baixo custo

Atualmente, no Brasil, muitas empresas estão reconhecendo a Ergonomia como forma de...
Continue lendo
Ergonomia

10 dicas de excelência em ergonomia no trabalho

As atividades que exigem força excessiva, postura inadequada e movimentos repetitivos...
Continue lendo