Falando sobre trabalho e saúde: o que as empresas podem fazer para diminuir a transmissão do Covid-19? As empresas do mundo inteiro estão tomando medidas de prevenção na tentativa de conter a transmissão do coronavírus. Várias medidas podem ser adotadas, como: dispensar os colaboradores, se possível, para trabalho em home office; sensibilizar sobre a importância da lavagem das mãos, bem como, manter um distanciamento de 2 metros entre as pessoas; organizar e agendar os horários de atendimentos para que não haja aglomerações; colocar placas de sinalização (sente aqui ou aguarde aqui) com 2 metros de distância; distribuir álcool em gel 70% para seus funcionários; divulgar os casos confirmados de Covid-19 na empresa, para que os outros funcionários fiquem atentos para possíveis sintomas, assim como, tomar medidas de isolamento social; estimular a higienização dos equipamentos de trabalho (computador, teclado, mouse e bancadas); e também orientar sobre uso de máscara e de outros EPI para aqueles trabalhadores que necessitam, como é caso dos profissionais de saúde. Portanto, todas essas medidas geram grande impacto na rotina da empresa e na vida de seus colaboradores. Não é verdade? O SESI elaborou um guia para ajudar as empresas na construção de seus planos corporativos de contingenciamento à pandemia de Covid-19 no território nacional. É importante que todas as empresas elaborem seu plano, pois, este possibilita identificação dos riscos e, assim, determina uma conduta mais eficaz em cada situação.

O que fazer se surgir um caso de Covid-19 confirmado na empresa?

Primeiramente, a empresa deve identificar se o colaborador com diagnóstico de Covid-19, apresenta sintomas (sintomático) ou não tem sintomas (assintomático). Mediante essa classificação são tomadas medidas de prevenção. Colaborador assintomático, deve: ser imediatamente isolado; receber máscara e instruções de uso; ser encaminhado para quarentena domiciliar; receber orientação sobre quando e como entrar contato com o sistema de saúde; receber orientação sobre medidas a serem adotadas durante o isolamento domiciliar para prevenção da contaminação a outras pessoas; receber orientação sobre medidas a serem tomadas caso precise se deslocar para o posto de saúde; ser monitorado de 2 em 2 dias para acompanhar a evolução da doença e a situação das pessoas que moram com ele. Já o colaborador que apresentar sintomas deve: ser imediatamente isolado; receber máscara e instruções de uso; ser encaminhado para uma unidade básica de saúde mais próxima; caso o serviço de saúde o encaminhe para quarentena domiciliar; receber todas as orientações destinadas para os casos assintomáticos. No entanto, as pessoas que mantiveram um contato por um tempo acima de 15 minutos e com uma aproximação menor de 2 metros de distância de uma pessoa com diagnóstico confirmado também precisam ser colocadas em quarentena por 14 dias; receber orientações sobre medidas de desinfecção e isolamento domiciliar. É necessário interditar para fazer uma desinfecção no local de trabalho do colaborador com Covid-19. Assim, realiza-se uma limpeza de todas as superfícies e equipamentos utilizados, já que o vírus pode permanecer vivo por dias em algumas superfícies.">
As competições esportivas e seus benefícios ao ambiente corporativo – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
As competições esportivas e seus benefícios ao ambiente corporativo

Todos nós compreendemos que as atividades físicas e esportivas são importantes para nossa qualidade de vida plena e saudável, tanto no ambiente familiar e social, quanto profissional. Todavia, em virtude do ativismo, da amplitude de atuação e das atividades frenéticas que envolvem diariamente as empresas, seus colaboradores e suas obrigações laborais, acreditamos ser necessário desmistificar as competições esportivas para as empresas.

Inicialmente necessitamos refletir sobre os elementos mais significativos que carregam esse contexto, ou seja, as empresas, seus colaboradores e as competições esportivas. Iniciaremos pelo aspecto competição. Competir é um ato humano, inerente inclusive a sobrevivência humana, sua capacidade de se adaptar às mudanças e condições diversas e adversas impostas pelos diferentes ambientes, inclusive o profissional. Se olharmos atentamente, o ato de competir está presente todos os dias, quando acordamos na hora certa e conseguimos cumprir nossos compromissos e objetivos diários, muitas vezes ditados por um “juiz¨ de competição implacável, o tempo. Viver está intimamente ligado ao tempo, que nos condiciona a fazermos escolhas pessoais e profissionais. No ambiente das empresas, sejam elas indústrias, comércios ou serviços, o tempo é um referencial de produção e, muitas vezes, impõe não somente a quantidade, mas também a qualidade com que os profissionais entregam seus serviços. Logo, aprender a utilizar o tempo diante dos desafios de “competições” em nossas jornadas de trabalho, também poderá ser ensinado pelas vivências nos esportes e nas competições esportivas.

O esporte, seja ele individual ou coletivo, possui vários valores como: ensinar a construir e valorizar as regras; ensinar a reconhecer os limites e a superar as dificuldades; elaborar metas claras; objetivar resultados; corrigir e aprimorar movimentos e formas de execução; construir o sentimento de equipe e pertencimento do grupo, onde os indivíduos passam a refletir sobre si mesmos como membros importantes e integrantes de uma coletividade. Coletividade essa que possui identidade, marca, compromisso e objetivos comuns, onde a força e o resultado do grupo certamente serão muito maiores e mais produtivos.

O esporte carrega elementos importantes para as relações humanas, como o respeito ao próximo; o uso do diálogo, enquanto ferramenta de resolução dos conflitos; a justiça, como elemento de aproximação e equilibração dos direitos e deveres de cada um; a cooperação e solidariedade dentro de uma competição com sentimento Fair Play (ética, lealdade, companheirismo e coletividade no esporte). Presença também dos sentimentos positivos de confraternização e fraternidade na proposta de lazer e integração das competições esportivas; além dos benefícios à saúde, com todas as questões de funcionalidade do corpo humano envolvidos (liberação de hormônios e neurotransmissores importantes ao organismo humano, como: serotonina, dopamina, adrenalina, etc). Essas substâncias estão presentes nas atividades físicas e esportivas auxiliando na manutenção dos estados fisiológicos, físicos e mentais, promovendo bem-estar e equilíbrios emocionais e psicológicos, direcionando a superação dos desafios, limites e dificuldades. O esporte poderá ser ferramenta de controle e combate a vários males da atualidade, tais como: estresse e seus desdobramentos, ansiedade, depressão, fobias, suicídio etc.

O estímulo à prática de esportes promove a inclusão do colaborador dentro de um grupo com identidade, objetivos e hábitos que favorecem uma atmosfera mais saudáveis para ele, proporcionando melhores escolhas alimentares, hidratação adequada, cuidados com o corpo, redução ou eliminação do uso de cigarros, bebidas ou mesmo drogas mais danosas; contribuindo substancialmente para a elevação do autoestima e imagem do colaborador junto aos seus colegas de trabalho e familiares. Também irá impactar no seu relacionamento com seus parceiros de trabalho e seus superiores para harmonização do espírito de equipe.

Diante de tamanho cabedal promovido pelos esportes e suas competições esportivas, avaliamos que existem inúmeros benefícios associados aos colaboradores das empresas com reflexos diretos no ambiente corporativo.

Competições esportivas organizadas dentro ou mesmo fora do ambiente corporativo (em áreas do SESI ou espaços alternativos) para seus colaboradores, ou mesmo estendidas às pessoas do seu entorno e sua rede de relacionamento, poderão fortalecer as relações pessoais e profissionais, trazendo melhoria na capacidade de enfrentar desafios e dificuldades na resolução de problemas. Além dessa ampliação de relações, promoverá novas parcerias entre empresas, com estreitamento dos laços comerciais e relações empresariais. A empresa também poderá incluir anualmente em seu calendário eventos competitivos esportivos que valorizem seu investimento e a sua marca, associando-a aos valores do esporte e/ou como benefício diferenciado aos seus colaboradores. Também como retorno corporativo, as empresas estarão atuando diretamente no combate ao sedentarismo, absenteísmo, presenteísmo e diferentes males físicos, sociais, cognitivos e emocionais que afetam seus trabalhadores.

Outros benefícios associados às competições esportivas estão relacionados com a estimulação da criatividade e das capacidades cognitivas de memória, concentração e raciocínios estratégicos dos seus colaboradores, através dos inúmeros fundamentos técnicos e das táticas (ataque e defesa) inerentes ao esporte.

O SESI, além dos serviços de atividades físicas e esportivas de suas unidades, poderá ofertar programas customizados para cada empresa a partir do diagnóstico e interesse corporativo e de seus colaboradores. O SESI dispõe de assessoria, organização de eventos, campeonatos e competições corporativas, profissionais qualificados, bem como instrumentais de avaliação e retorno sobre os benefícios e resultados alcançados com o investimento. As empresas também poderão solicitar programas de formação esportiva para os dependentes dos seus colaboradores (filhos, por exemplo).

Finalmente, avaliamos serem as competições esportivas uma alternativa viável e fomentadora de bons resultados para as empresas que estão dispostas a investirem em seu quadro de colaboradores, transformando-o em uma equipe forte e vencedora. Venham e sejam bem-vindos às Competições Esportivas do SESI.

Fausto Medeiros Filho

Sobre o Autor: Fausto Medeiros Filho

Profissional de Educação Física pela Escola Superior de Educação Física da Universidade de Pernambuco - UPE e especialista em Didática pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Atualmente é analista de Serviços com apoio à Gestão da Promoção da Saúde nas Atividades Físicas e Esportivas.
Comentar