A importância do VOI na avaliação da saúde organizacional – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
A importância do VOI na avaliação da saúde organizacional

Os investidores têm demonstrado maior preocupação em olhar mais atentamente para os ativos intangíveis de uma empresa. No setor da saúde há a necessidade de indicadores e métricas que possam ajudar a entender as muitas maneiras que o bem-estar dos funcionários pode influenciar nos resultados da empresa. Atualmente, diversos estudos comprovam que a promoção de ambientes saudáveis quando bem implementados produzem retornos positivos tangíveis e intangíveis e que são igualmente importantes.

Segundo Roemer e Goetzel (2017), cientista sênior da Universidade John Hopkins nos Estados Unidos, o valor sobre o investimento (VOI), talvez seja hoje visto como mais importante que o retorno sobre o investimento (ROI). O ROI sozinho avalia o retorno financeiro de programas que, talvez, não apresentem retorno significativo. Porém, irá depender da visão de valor do empresário, da filosofia da empresa, quanto à importância de investir em programas de promoção da saúde que não apresentem ROI positivo, mas que gerem valor significativo para mudanças de hábitos de vida dos funcionários.

O VOI pode ser medido em quatro grandes categorias: medições de negócios (performance e lucratividade, atração e retenção de talentos); medições de saúde e de cuidados com a saúde (reivindicações médicas e custos, alegações de incapacidade e custos, segurança, comportamento relacionado à saúde), medições de produtividade (absenteísmo e presenteísmo) e medições humanísticas (ânimo, satisfação no trabalho, nível de energia, relacionamento com colegas, engajamento e satisfação no programa). (ROEMER; GOETZEL, 2017).

A abordagem do VOI requer das empresas uma avaliação da saúde organizacional, o que vai além do ato de medir individualmente a saúde dos trabalhadores. Envolve outra perspectiva em relação à importância da implementação dos programas de saúde numa empresa, extrapolando o foco de cortar custos. (ROEMER; GOETZEL, 2017).

BIBLIOGRAFIA

ROEMER; Enid Chung; GOETZEL, Ron Z. Construindo uma cultura de saúde: movendo–se do ROI em direção ao VOI. In: OGATA, Alberto José Niituma (Org.). Temas avançados em qualidade de vida. São Paulo: Midiograf, 2017. v. 5.

Claudio Patrício

Sobre o Autor: Claudio Patrício

Diretor Científico da Associação Cearense de Medicina do Trabalho, especialista em Medicina do Trabalho AMB/ANAMT, pesquisador do Centro de Inovação SESI em Economia para Saúde e Segurança, coordenador Corporativo de SSO Sistema FECOMÉRCIO e Membro Titular do ICOH - International Commission on Occupational Health.
Comentar