Educação Empreendedora 

Nossa escola possui uma parceria com o SEBRAE, onde os estudantes aprendem a desenvolver e pensar em soluções práticas por meio do empreendedorismo.

De modo geral, o aluno, através das habilidades que ele obtém ao longo dos anos, consegue ver o empreendedorismo como uma fonte de realização. Ou seja, nossa escola abre o caminho para o aprofundamento acadêmico, técnico e empreendedor.

Parece confuso e você ainda não conseguiu entender? Não se preocupe. Vamos exemplificar para ficar mais fácil. Antigamente, o “boom” nas escolas, que “enchiam os olhos” das crianças e jovens eram as aulas de informática, concorda?

Atualmente, é a educação empreendedora. Essa educação incentiva os alunos a buscarem o autoconhecimento, novas aprendizagens e oportunidades, além do espírito de coletividade e também avaliarem as melhores possibilidades, tanto na vida pessoal como no mercado de trabalho.

STEAM 

O modelo STEAM prevê a integração de conhecimentos de Artes, Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, possibilitando que o aluno se prepare para desafios como cidadão e também no mercado de trabalho.

Em inglês, a sigla STEAM significa Science, Technology, Engineering, Arts, Mathematics.

Nossas aulas partem de uma situação-problema, normalmente de uma realidade prática, próxima ao cotidiano do estudante. Com isso, o aluno consegue desenvolver habilidades e competências para pensar na solução do problema criado, de acordo com sua realidade. 

Além disso, a prática envolve todas as áreas que citamos anteriormente porque a solução para o problema não acontece isoladamente. Unindo todas as áreas, o aluno consegue abranger várias ciências para encontrar uma resposta para a questão criada em sala de aula. 

Educação Maker 

O foco da Educação Maker, termo em inglês que significa “fazer”, é transformar os espaços de aprendizagem. Isso faz com que nossa escola se torne um lugar para a experimentação, aprendizagem criativa e prática do conhecimento.

Em linhas mais simples, Educação Maker é “colocar a mão na massa”, ou seja, é uma educação significativa que atua por meio de experiências práticas.

Temos um espaço Maker para que os alunos executem seus projetos, com base nas pesquisas realizadas, com ferramentas e todo o material necessário para que eles inovem e deem espaço para a criatividade. 

Aulas Interáreas 

As aulas interáreas são aulas que tem o objetivo de romper as barreiras das áreas do conhecimento.

Nessas aulas, o professor atua como um maestro, norteando os alunos para que eles aprofundem assuntos dos mais variados tipos, como política, cidadania e sociologia, sob a ótica de várias áreas do conhecimento. 

Inovação e Tecnologia 

Não compreendemos tecnologia apenas como uma aparelhagem eletrônica. Para a Escola SESI SENAI é o desenvolvimento do conhecimento, em que o estudante possui autonomia para desenvolver o seu próprio conhecimento, municiado de técnicas e metodologias acadêmicas. 

Quais os espaços, atividades curriculares e extracurriculares que a Escola SESI SENAI oferece para os estudantes? 

Nossa escola conta também com espaços modernos, atividades curriculares e extracurriculares para uma melhor aprendizagem. Abaixo você confere alguns deles:

Laboratório de Robótica 

Esse é um espaço para o desenvolvimento de atividades tecnológicas com base nos conteúdos apresentados pelas disciplinas. Nesse espaço o aluno aprende programação, matemática, desenvolve trabalho em equipe, lógica, desenvolve projetos e resolve problemas práticos. 

Espaço Maker 

Esse é um laboratório onde o estudante tem a possibilidade de pensar e desenvolver projetos com o acompanhamento de professores altamente capacitados e por meio de equipamentos tecnológicos de ponta como impressora 3D. É nesse espaço que a Educação Maker é colocada em prática. 

Espaço de Ciências e de Matemática

Nesses espaços há laboratórios tecnologicamente equipados para o aprofundamento prático dos conhecimentos em ciência e matemática aprendidos pelo aluno durante as aulas.

Educação para Valores

Nossa escola trabalha com desenvolvimento de competências socioemocionais, com acompanhamento de psicólogos e com o cuidado de reconhecer as mais diversas habilidades do conhecimento.

Você concorda que cada ser humano possui competências e habilidades distintas, não é mesmo? E é isso que procuramos exaltar na nossa escola. Pode ser que um aluno tenha dificuldades com alguma matéria, como português, por exemplo. Mas, esse mesmo aluno, pode ser um excelente artista.

É isso que procuramos valorizar: as suas habilidades. Dessa forma, conseguimos potencializar a autoestima e também o que o estudante tem de melhor. 

Festival Literário 

Uma ação que visa qualificar a experiência de aquisição da aprendizagem, reunindo professores, estudantes e famílias com a proposição de vivências lúdicas através da criação de um Blog Literário para ser “plano de fundo” para os trabalhos desenvolvidos pelos estudantes do Ensino Fundamental e Ensino Médio. 

Quais são os diferenciais da Escola SESI SENAI? 

Certamente, com tudo que você acabou de ler, já deu para entender quais são os diferenciais da nossa escola. Mas, para que não haja dúvidas, compilamos aqui nesse tópico:

Mas não para por aí.

Nossa escola também oferta o Novo Ensino Médio que tem por objetivos:

  1. Aprofundar o interesse dos estudantes em áreas específicas do conhecimento para o ingresso em instituições de ensino superior.
  2. Possibilitar a inserção no mercado de trabalho por meio de cursos de formação técnica (Eletrotécnica, Jogos Digitais, Mecânica e Redes de Computadores).

Além disso, o material escolar e o fardamento são gratuitos. Isso significa que além de uma metodologia diferenciada, a escola fornece todo o material didático sem custo para o aluno com o padrão de qualidade da Somos Educação. O fardamento também é gratuito e não há cobrança de taxa de matrícula.
Quer saber mais sobre nossa escola e/ou efetuar a matrícula do seu filho? Então, basta clicar aqui para ter acesso aos nossos editais e inscreva seu filho na escola que é referência.

">
5 benefícios para promover o bem-estar dos funcionários – Blog SESI de Saúde e Segurança
descer
SESI
5 benefícios para promover o bem-estar dos funcionários

Promover o bem-estar dos trabalhadores passou a fazer parte da estratégia de negócio de muitas organizações. Tal cenário coloca o trabalhador no centro das estratégias de saúde e bem-estar. As iniciativas de bem-estar agem em quatro dimensões principais: física, emocional, financeira e social, sendo cada dimensão única e interligada às demais.

Dentro desse contexto, trabalhadores e empregadores ganham.  Os trabalhadores melhoram o acesso a cuidados com a saúde de qualidade e bem-estar. E os empregadores, ou melhor, as organizações, como se beneficiam com a implementação de uma cultura do bem-estar? O bem-estar é a base para a criação de funcionários mais engajados e mais produtivos, contribuindo para resultados de negócios melhores e mais sustentáveis e um maior grau de satisfação no trabalho e na carreira dos funcionários. Mas o que esse tal benefício representa na prática e na rotina das organizações?

Veja abaixo cinco benefícios que podem ser alcançados quando se tem uma cultura de bem-estar instalada:

  1. Redução do absenteísmo

Quando falamos de absenteísmo no mundo corporativo, estamos nos referindo à ausência do colaborador do ambiente de trabalho, seja por algumas horas ou até por dias. Um funcionário disposto, saudável e que esteja satisfeito com o seu trabalho, fica motivado a trabalhar e a não se ausentar. No livro The Power of Full Engagement (O Poder do Engajamento Total), o autor demonstra a relação entre bem-estar e absenteísmo citando o exemplo da empresa Dupont. A organização reduziu 47,5% o número de faltas dos trabalhadores, num período de seis anos, desde que o programa corporativo de capacitação física foi implantado. Os funcionários que participavam do programa também solicitaram 14% menos dispensas médicas do que aqueles que não participaram.

  1. Diminuição do presenteísmo

O presenteísmo constitui um custo invisível e altamente prejudicial às organizações, uma vez que representa a parcela de trabalhadores que se encontram adoecidos sem estarem afastados de seus postos de trabalho. Tal realidade compromete significativamente a produtividade e desempenho dos trabalhadores. Para se constatar o presenteísmo, basta olharmos para um dado importante disponibilizado pela OMS que diz que 45% das pessoas com depressão não são diagnosticadas, portanto, não recebem tratamento adequado. Elas vão trabalhar todos os dias, estão lá de corpo presente, mas produzindo abaixo de sua capacidade.

Os programas de bem-estar corporativo conseguem desenvolver uma boa concepção do trabalho quando inclui em suas ações práticas organizacionais claras, seleção, treinamento e desenvolvimento adequados para a equipe, descrições de trabalho claras e um ambiente social que ofereça apoio e com isso seja capaz de identificar mais facilmente trabalhadores adoecidos, além de permitir um acesso de qualidade aos serviços de saúde.

  1. Maior retenção de talentos e queda de turnover

A presença de uma equipe talentosa e motivada pode representar um diferencial competitivo para a organização, além de permitir aos seus gestores construir uma equipe de alta performance. Mas para se manter uma equipe com esse grau de excelência é preciso investir em bem-estar, pois segundo a GPTW (Great Place to Work), três em cada 10 trabalhadores alegam que a qualidade de vida é o principal motivo que o faz continuar em uma organização.

Com tal constatação, a implantação de programas de bem-estar corporativo se faz necessária e tem se mostrado eficiente para reter e atrair talentos, assim como para manter os demais funcionários, pois promovem valorização, sentimento de pertença, além de criar um vínculo positivo com a empresa e diminuir a rotatividade de pessoal, conhecida como turnover

  1. Melhora do clima organizacional

Uma organização saudável é aquela que valoriza e pratica a cultura do bem-estar e da saúde do trabalhador, assim como a melhoria do desempenho e produtividade organizacional através de ações de promoção da saúde e do bem-estar, como ginástica laboral, rodas de conversa, massagens, grupos de corrida e caminhada, incentivo a uma alimentação mais saudável, entre outras ações que têm a capacidade de promover interação, criação de vínculos e relacionamentos mais saudáveis dentro da organização e contribuir para um clima organizacional voltado para a inclusão.

Como exemplo podemos citar o caso da General Motors que após a implantação de um programa de bem-estar observou uma redução de 50% nos desentendimentos no ambiente de trabalho.

  1. Redução de acidentes de trabalho

Segundo dados do Observatório Digital de Segurança e Saúde no Trabalho, entre o período de 2012 e 2018, o Brasil registrou uma morte por acidente de trabalho a cada 3h horas e 40 minutos. Tal estatística revela, entre outras causas, o descuido do trabalhador na realização da tarefa que pode acontecer, entre outros fatores, pela falta de atenção, devido ao estresse ou excesso de autoconfiança na realização da ação ou por falta de cuidados para manter uma boa saúde. Segundo Tony Schwartz em seu livro Power of Full Engagement, funcionários com boa condição física, cometem 27% menos erros do que as pessoas que estão fora de forma.

Portanto, o desenvolvimento de ações que promovam a saúde do colaborador em todas as suas dimensões, seja física, emocional, social, econômica ou espiritual só tendem a contribuir para uma melhor performance no trabalho, assim como diminuir a chance de erros e prevenir acidentes de trabalho.

Ana Karine Andrade

Sobre o Autor: Ana Karine Andrade

Formada em Psicologia pelo Centro Universitário Santo Agostinho – UNIFSA/PI e pós-graduanda em Gestão Pública em Saúde pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Atualmente é Psicóloga da área de Promoção da Saúde e Segurança e Saúde do Trabalhador do SESI Ceará.
Comentar